Publicado no Diário da Justiça de 12/04/2018

 

Boletim 2018.000013 - 3 a. VARA FEDERAL:

  

             Lista de Advogados constantes nesse boletim:

ADAIL BYRON PIMENTEL 0004018-05.1995.4.05.8200

AGOSTINHO ALBERIO FERNANDES DUARTE 0004465-70.2007.4.05.8200 0004858-58.2008.4.05.8200 0004863-80.2008.4.05.8200

ALESSANDRA REDUA LEONARDECZ 0004026-44.2016.4.05.8200

ALEXANDER THYAGO GONÇALVES NUNES DE CASTRO 0004826-87.2007.4.05.8200

ALEXANDRE SOUZA DE MENDONÇA FURTADO 0004018-05.1995.4.05.8200

ALEXANDRE VIEIRA DE QUEIROZ 0004018-05.1995.4.05.8200

ALVARO DANTAS WANDERLEY 0004018-05.1995.4.05.8200

ALZIRA CABRAL MEDEIROS 0007056-68.2008.4.05.8200

AMANDA FONSECA DE PONTES 0004211-24.2012.4.05.8200

AMILTON J. MANOEL 0004018-05.1995.4.05.8200

ANDRE CASTELO BRANCO PEREIRA DA SILVA 0005652-40.2012.4.05.8200

ANDREA FEITOSA PEREIRA 0004211-24.2012.4.05.8200

ANDRÉ AIRES ROCHA RIBEIRO 0004018-05.1995.4.05.8200

ANNA TEREZA DE MENDONÇA GONÇALVES 0004018-05.1995.4.05.8200

ANTONIO BARBOSA FILHO 0000869-44.2008.4.05.8200

ANTONIO FIALHO DE ALMEIDA NETO 0008132-25.2011.4.05.8200

ANTONIO MARCOS BARBOSA 0004018-05.1995.4.05.8200

ARLAND DE SOUZA LOPES 0000611-29.2011.4.05.8200

ARTHUR MARTINS MARQUES NAVARRO 0007396-90.2000.4.05.8200

AUGUSTO CARLOS BEZERRA DE ARAGÃO FILHO 0009803-49.2012.4.05.8200

AURELIO HENRIQUE F. DE FIGUEIREDO 0000611-29.2011.4.05.8200

BENEDITO HONORIO DA SILVA 0000869-44.2008.4.05.8200 0004018-05.1995.4.05.8200

BRUNO LOPES DE ARAÚJO 0007396-90.2000.4.05.8200

CAIO TIBERIO BARBALHO DA SILVA 0004069-25.2009.4.05.8200

CARINA DE LIMA SOARES 0004211-24.2012.4.05.8200

CARLOS EMILIO FARIAS DA FRANCA 0004018-05.1995.4.05.8200

CASSEMIRO ALVES DOS SANTOS 0004026-44.2016.4.05.8200

CATARINE HELENA LIMEIRA PIMENTEL 0004018-05.1995.4.05.8200

CELSO DE PAULA FERREIRA DA COSTA 0004211-24.2012.4.05.8200

CLAIR MARTINI 0001050-02.1995.4.05.8200

CRISTIANE ROMANO 0004211-24.2012.4.05.8200

DAMIEN ZAMBELLINI 0004026-44.2016.4.05.8200

DANIEL DE OLIVEIRA ROCHA 0010190-06.2008.4.05.8200

DANIEL HENRIQUE ANTUNES 0004018-05.1995.4.05.8200

DANIELLA ZAGARI GONÇALVES 0004211-24.2012.4.05.8200

DEBORAH ARAUJO BALDUINO 0004211-24.2012.4.05.8200

DELOSMAR DOMINGOS DE MENDONCA JUNIOR 0004018-05.1995.4.05.8200

DIOGO LEITE HENRIQUES 0004018-05.1995.4.05.8200

DORIS FIÚZA CHAVES 0000110-70.2014.4.05.8200

DUCIRAN VAN MARSEN FARENA 0004026-44.2016.4.05.8200

EDNALDO DE LIMA 0005916-57.2012.4.05.8200

EDUARDO HENRIQUE VIDERES DE ALBUQUERQUE 0000611-29.2011.4.05.8200

EDUARDO MONTEIRO DANTAS 0004018-05.1995.4.05.8200

EDVAN CARNEIRO DA SILVA 0004069-25.2009.4.05.8200 0009803-49.2012.4.05.8200

EDWARD JOHNSON G. ABRANTES 0007396-90.2000.4.05.8200

EDWARD JOHNSON GONÇALVES DE ABRANTES 0007396-90.2000.4.05.8200

EMERSON MOREIRA DE OLIVEIRA 0005078-85.2010.4.05.8200

EMILIANO CASTOR DE ARAUJO NETO 0000611-29.2011.4.05.8200

ERALDO LUIS BRAZ DE MORAIS 0003777-11.2007.4.05.8200

ERILANY DANTAS DOS SANTOS 0002670-58.2009.4.05.8200

ERION SCHLENGER DE PAIVA MAIA 0004026-44.2016.4.05.8200

ERIVAN DE LIMA 0009219-55.2007.4.05.8200

FABIANO MIRANDA GOMES 0007056-68.2008.4.05.8200

FABIO ANDRADE MEDEIROS 0004018-05.1995.4.05.8200

FABIO LEANDRO DE ALENCAR CUNHA 0004018-05.1995.4.05.8200

FABIO ROMERO DE SOUZA RANGEL 0000611-29.2011.4.05.8200 0004465-70.2007.4.05.8200

FABRÍCIO TEIXEIRA NOLETO 0004026-44.2016.4.05.8200

FELIPE AUGUSTO FORTE DE NEGREIROS DEODATO 0004018-05.1995.4.05.8200

FELIPE DE FIGUEIREDO SILVA 0004018-05.1995.4.05.8200

FELIPE SARMENTO CORDEIRO 0009803-49.2012.4.05.8200

FLAVIO COLAÇO DA SILVA 0009219-55.2007.4.05.8200

FRANCISCO DAS CHAGAS BATISTA LEITE 0004465-70.2007.4.05.8200

FRANCISCO DAS CHAGAS GIL MESSIAS 0005078-85.2010.4.05.8200

FRANCISCO DAS CHAGAS NUNES 0000611-29.2011.4.05.8200

FRANCISCO DE ASSIS SILVA C. JUNIOR 0004018-05.1995.4.05.8200

FRANCISCO EDWARD AGUIAR NETO 0002670-58.2009.4.05.8200 0004826-87.2007.4.05.8200 0010017-79.2008.4.05.8200 0010190-06.2008.4.05.8200

GEILSON SALOMAO LEITE 0004018-05.1995.4.05.8200

GENIVAN CAETANO DE ALMEIDA 0004026-44.2016.4.05.8200

GEORGE SALOMAO LEITE 0004018-05.1995.4.05.8200

GERMANA AZEVEDO TOSCANO DE BRITO 0004018-05.1995.4.05.8200

GIOVANNA PAIVA PINHEIRO DE ALBUQUERQUE BEZERRA 0009803-49.2012.4.05.8200

GUILHERME DURAN GALLASSI 0004211-24.2012.4.05.8200

HALLERRANDRA PAULINO DE SANTANA 0002670-58.2009.4.05.8200

HAROLDO CARNEIRO LEAO 0001050-02.1995.4.05.8200

HELANNE BARRETO VARELA GONÇALVES 0004018-05.1995.4.05.8200

HUMBERTO CAVALCANTI DE MELLO 0004018-05.1995.4.05.8200

HUMBERTO TROCOLI NETO 0003777-11.2007.4.05.8200

INAE BRUSTOLIN DE MELO 0004026-44.2016.4.05.8200

IRAPUAN SOBRAL FILHO 0004018-05.1995.4.05.8200

IVAMBERTO CARVALHO DE ARAUJO 0005078-85.2010.4.05.8200

IVO CASTELO BRANCO PEREIRA DA SILVA 0005652-40.2012.4.05.8200

JAIANA MILHOMENS GONÇALVES 0004026-44.2016.4.05.8200

JAIME MARTINS PEREIRA JUNIOR 0006480-36.2012.4.05.8200

JALDELENIO REIS DE MENESES 0000869-44.2008.4.05.8200

JEFERSON FRANCO ANTONIO VIEIRA 0004211-24.2012.4.05.8200

JIMENNA ROCHA CORDEIRO GUEDES 0007056-68.2008.4.05.8200

JOAO DA MATA DE SOUSA FILHO 0007396-90.2000.4.05.8200

JOAO LUNA FILHO 0004018-05.1995.4.05.8200

JOAO PAULO DE JUSTINO E FIGUEIREDO 0004069-25.2009.4.05.8200 0010190-06.2008.4.05.8200

JOCELIO JAIRO VIEIRA 0008132-25.2011.4.05.8200

JOHNSON G. DE ABRANTES 0007396-90.2000.4.05.8200

JOICY SILVA LUSTOSA 0004026-44.2016.4.05.8200

JONATHAN OLIVEIRA DE PONTES 0000869-44.2008.4.05.8200

JOSE BAPTISTA DE MELLO NETTO 0004018-05.1995.4.05.8200

JOSE GALDINO DA SILVA FILHO 0007396-90.2000.4.05.8200

JOSE GERALDO CARNEIRO LEAO 0001050-02.1995.4.05.8200

JOSE RAMOS DA SILVA 0004069-25.2009.4.05.8200 0009803-49.2012.4.05.8200

JOSE TADEU ALCOFORADO CATAO 0004465-70.2007.4.05.8200

JOSE TARCIZIO FERNANDES 0004018-05.1995.4.05.8200

JOSÉ APARECIDO DOS SANTOS 0004211-24.2012.4.05.8200

JOÃO AM ADEUS ALVES DOS SANTOS 0004211-24.2012.4.05.8200

JOÃO OTÁVIO MARTINS PIMENTEL 0004211-24.2012.4.05.8200

JOÃO PAULO BARBALHO INACIO DA SILVA 0004069-25.2009.4.05.8200

JURANDIR PEREIRA DA SILVA 0005652-40.2012.4.05.8200

JUSSARA TAVARES SANTOS SOUSA 0003777-11.2007.4.05.8200

KARIN CRISTINA BORIO MANCIA 0004026-44.2016.4.05.8200

KARLA GABRIELA SOUSA LEITE 0004069-25.2009.4.05.8200

KELLEN MORO TEIXEIRA 0004026-44.2016.4.05.8200

LAURO MONTENEGRO SARMENTO DE SA 0010190-06.2008.4.05.8200

LEILA REGINA DE BRITO ANDRADE 0003777-11.2007.4.05.8200 0004465-70.2007.4.05.8200

LEONARDO DE AGUIAR BANDEIRA 0006480-36.2012.4.05.8200

LEONARDO THEODORO DE AQUINO 0009219-55.2007.4.05.8200

LETICIA BOLZANI GONDIM 0004069-25.2009.4.05.8200

LUCIANA DE ALBUQUERQUE CAVALCANTI BRITO 0004465-70.2007.4.05.8200

LUIZ ALEXANDRE LIPORINI MARTINS 0004211-24.2012.4.05.8200

LUIZ RODRIGUES 0005652-40.2012.4.05.8200

LUÍS GERALDO SOARES LUSTOSA 0001050-02.1995.4.05.8200

LÍLIA MARANHÃO DE MELO 0004018-05.1995.4.05.8200

MARCELO ARARUNA DA CUNHA CARNEIRO BRAGA 0004018-05.1995.4.05.8200

MARCELO PAULO FORTES DE CERQUEIRA 0004211-24.2012.4.05.8200

MARCO ANTONIO BEHRNDT 0004211-24.2012.4.05.8200

MARCOS ANTONIO INACIO DA SILVA 0002670-58.2009.4.05.8200 0003777-11.2007.4.05.8200 0004069-25.2009.4.05.8200

MARCOS DOS ANJOS PIRES BEZERRA 0005078-85.2010.4.05.8200

MARIA LUCINEIDE DIOGENES DE CASTRO 0002107-30.2010.4.05.8200

MARIO GRAZIANI PRADA 0004211-24.2012.4.05.8200

MICHAEL ANDERSON DANTAS LAURENTINO 0004211-24.2012.4.05.8200

MUCIO SATIRO FILHO 0004465-70.2007.4.05.8200

MÔNICA DE SOUSA ROCHA BARBOSA 0000869-44.2008.4.05.8200 0007056-68.2008.4.05.8200

NARRIMAN XAVIER DA COSTA 0002670-58.2009.4.05.8200 0003777-11.2007.4.05.8200 0004069-25.2009.4.05.8200

NAVILA DE FATIMA GONCALVES VIEIRA 0005078-85.2010.4.05.8200

NAYARA MOURA LIMA 0004211-24.2012.4.05.8200

NILVA FOLETTO 0001050-02.1995.4.05.8200

PAULO AMERICO MAIA DE VASCONCELOS 0004018-05.1995.4.05.8200

PAULO EDUARDO FERRARINI FERNANDES 0005078-85.2010.4.05.8200

PAULO GUEDES PEREIRA 0004465-70.2007.4.05.8200 0004858-58.2008.4.05.8200 0004863-80.2008.4.05.8200

PAULO HENRIQUE CHÍTERO BUENO 0004211-24.2012.4.05.8200

PETROV FERREIRA BALTAR FILHO 0000110-70.2014.4.05.8200

RAFAEL SANTIAGO ALVES 0007396-90.2000.4.05.8200

RAQUEL CRISTINA RIBEIRO NOVAIS 0004211-24.2012.4.05.8200

RENATA CERCI POMPERMAYER RUSCHEL 0004026-44.2016.4.05.8200

RICARDO DE OLIVEIRA FRANCESCHINI 0004211-24.2012.4.05.8200

RICARDO QUERINO DE SOUZA 0004211-24.2012.4.05.8200

RICARDO RODRIGUES BARDELLA 0004211-24.2012.4.05.8200

RIVANA CAVALCANTE VIANA CRUZ 0005652-40.2012.4.05.8200

RODRIGO AZEVEDO GRECO 0004018-05.1995.4.05.8200

RODRIGO AZEVEDO TOSCANO DE BRITO 0004018-05.1995.4.05.8200

RODRIGO DE SA QUEIROGA 0004018-05.1995.4.05.8200

ROGERIO MAGNUS VARELA GONCALVES 0004018-05.1995.4.05.8200

ROGÉRIO CUNHA ESTEVAM 0007056-68.2008.4.05.8200

ROSSANA FIGUEIREDO LACERDA 0010017-79.2008.4.05.8200

RUTH GONDIM FARIAS DE MIRANDA MONTE 0004018-05.1995.4.05.8200

SABRINA PEREIRA MENDES 0004465-70.2007.4.05.8200

SEM ADVOGADO 0002107-30.2010.4.05.8200

SEM PROCURADOR 0001050-02.1995.4.05.8200 0004018-05.1995.4.05.8200 0004026-44.2016.4.05.8200 0004069-25.2009.4.05.8200 0004211-24.2012.4.05.8200 0005652-40.2012.4.05.8200 0005916-57.2012.4.05.8200 0009803-49.2012.4.05.8200

SERGIO ALBERTO RIBEIRO BACELAR 0004211-24.2012.4.05.8200

SERGIO BENEVIDES FELIZARDO (UFPB) 0004858-58.2008.4.05.8200 0004863-80.2008.4.05.8200

SIMONE ZONARI LETCHACOSKI 0004026-44.2016.4.05.8200

TANIELLE KÉZIAH DE SOUSA FREIRE 0004069-25.2009.4.05.8200

THOMAS GUILHERME CASTRO E SILVA 0000869-44.2008.4.05.8200

VESCIJUDITH FERNANDES MOREIRA 0004465-70.2007.4.05.8200

YANE CASTRO DE ALBUQUERQUE 0000869-44.2008.4.05.8200 0009803-49.2012.4.05.8200

YURI PORFIRIO CASTRO DE ALBUQUERQUE 0004069-25.2009.4.05.8200 0009803-49.2012.4.05.8200

 

Juiz Federal CRISTINA MARIA COSTA GARCEZ

Diretor de Secretaria: RITA DE CASSIA M FERREIRA

   

AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO)

   

0000611-29.2011.4.05.8200 ZILNEIDE DE SOUZA (Adv. ARLAND DE SOUZA LOPES, EMILIANO CASTOR DE ARAUJO NETO) X CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF (Adv. AURELIO HENRIQUE F. DE FIGUEIREDO, EDUARDO HENRIQUE VIDERES DE ALBUQUERQUE, FABIO ROMERO DE SOUZA RANGEL, FRANCISCO DAS CHAGAS NUNES)

O Supremo Tribunal Federal homologou acordo formulado pela Advocacia-Geral da União, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - IDEC, a Frente Brasileira pelos Poupadores - FEBRAPO, a Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN e a Confederação Nacional do Sistema Financeiro - CONSIF, cujo termo "prevê o pagamento pelos bancos dos valores correspondentes aos expurgos inflacionários de poupança, conforme limites e critérios previstos no instrumento de acordo, em consonância, regra geral, com o que vem sendo decidido pelo Superior Tribunal de Justiça sobre a matéria". Desse modo, intime-se a parte Autora para, em 30 (trinta) dias manifestar sua adesão ao acordo homologado, informando os dados bancários para depósito do montante devido pela parte Ré. Realizada a adesão pela parte Autora, fixo o prazo de 30 (trinta) dias à CAIXA para cumprir a obrigação de pagar, comprovando o pagamento, nos autos.. Em seguida, dê-se ciência à parte Autora, vindo-me conclusos para sentença. Rejeitada a adesão, mantenha-se o feito sobrestado. Intimem-se.

   

0002107-30.2010.4.05.8200 MARIA ONEIDE MONTEIRO (Adv. MARIA LUCINEIDE DIOGENES DE CASTRO) X CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF (Adv. SEM ADVOGADO)

O Supremo Tribunal Federal homologou acordo formulado pela Advocacia-Geral da União, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - IDEC, a Frente Brasileira pelos Poupadores - FEBRAPO, a Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN e a Confederação Nacional do Sistema Financeiro - CONSIF, cujo termo "prevê o pagamento pelos bancos dos valores correspondentes aos expurgos inflacionários de poupança, conforme limites e critérios previstos no instrumento de acordo, em consonância, regra geral, com o que vem sendo decidido pelo Superior Tribunal de Justiça sobre a matéria". Desse modo, intime-se a parte Autora para, em 30 (trinta) dias manifestar sua adesão ao acordo homologado, informando os dados bancários para depósito do montante devido pela parte Ré. Realizada a adesão pela parte Autora, fixo o prazo de 30 (trinta) dias à CAIXA para cumprir a obrigação de pagar, comprovando o pagamento, nos autos.. Em seguida, dê-se ciência à parte Autora, vindo-me conclusos para sentença. Rejeitada a adesão, mantenha-se o feito sobrestado.

   

0002670-58.2009.4.05.8200 ATACY MACIEL DE MELO (Adv. MARCOS ANTONIO INACIO DA SILVA, NARRIMAN XAVIER DA COSTA, ERILANY DANTAS DOS SANTOS, HALLERRANDRA PAULINO DE SANTANA) X CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF (Adv. FRANCISCO EDWARD AGUIAR NETO)

O Supremo Tribunal Federal homologou acordo formulado pela Advocacia-Geral da União, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - IDEC, a Frente Brasileira pelos Poupadores - FEBRAPO, a Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN e a Confederação Nacional do Sistema Financeiro - CONSIF, cujo termo "prevê o pagamento pelos bancos dos valores correspondentes aos expurgos inflacionários de poupança, conforme limites e critérios previstos no instrumento de acordo, em consonância, regra geral, com o que vem sendo decidido pelo Superior Tribunal de Justiça sobre a matéria". Desse modo, intime-se a parte Autora para, em 30 (trinta) dias manifestar sua adesão ao acordo homologado, informando os dados bancários para depósito do montante devido pela parte Ré. Realizada a adesão pela parte Autora, fixo o prazo de 30 (trinta) dias à CAIXA para cumprir a obrigação de pagar, comprovando o pagamento, nos autos.. Em seguida, dê-se ciência à parte Autora, vindo-me conclusos para sentença. Rejeitada a adesão, mantenha-se o feito sobrestado. Intimem-se.

   

0003777-11.2007.4.05.8200 MARIA DAS NEVES BORGES (Adv. MARCOS ANTONIO INACIO DA SILVA, NARRIMAN XAVIER DA COSTA, JUSSARA TAVARES SANTOS SOUSA, HUMBERTO TROCOLI NETO, ERALDO LUIS BRAZ DE MORAIS) X CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF (Adv. LEILA REGINA DE BRITO ANDRADE)

O Supremo Tribunal Federal homologou acordo formulado pela Advocacia-Geral da União, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - IDEC, a Frente Brasileira pelos Poupadores - FEBRAPO, a Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN e a Confederação Nacional do Sistema Financeiro - CONSIF, cujo termo "prevê o pagamento pelos bancos dos valores correspondentes aos expurgos inflacionários de poupança, conforme limites e critérios previstos no instrumento de acordo, em consonância, regra geral, com o que vem sendo decidido pelo Superior Tribunal de Justiça sobre a matéria". Desse modo, intime-se a parte Autora para, em 30 (trinta) dias manifestar sua adesão ao acordo homologado, informando os dados bancários para depósito do montante devido pela parte Ré. Realizada a adesão pela parte Autora, fixo o prazo de 30 (trinta) dias à CAIXA para cumprir a obrigação de pagar, comprovando o pagamento, nos autos.. Em seguida, dê-se ciência à parte Autora, vindo-me conclusos para sentença. Rejeitada a adesão, mantenha-se o feito sobrestado.

   

0004465-70.2007.4.05.8200 MARIA HELENA MELO GOMES PEREIRA E OUTROS (Adv. PAULO GUEDES PEREIRA, AGOSTINHO ALBERIO FERNANDES DUARTE, MUCIO SATIRO FILHO, VESCIJUDITH FERNANDES MOREIRA, FRANCISCO DAS CHAGAS BATISTA LEITE, LUCIANA DE ALBUQUERQUE CAVALCANTI BRITO, SABRINA PEREIRA MENDES) X CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF (Adv. LEILA REGINA DE BRITO ANDRADE, FABIO ROMERO DE SOUZA RANGEL, JOSE TADEU ALCOFORADO CATAO)

O Supremo Tribunal Federal homologou acordo formulado pela Advocacia-Geral da União, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - IDEC, a Frente Brasileira pelos Poupadores - FEBRAPO, a Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN e a Confederação Nacional do Sistema Financeiro - CONSIF, cujo termo "prevê o pagamento pelos bancos dos valores correspondentes aos expurgos inflacionários de poupança, conforme limites e critérios previstos no instrumento de acordo, em consonância, regra geral, com o que vem sendo decidido pelo Superior Tribunal de Justiça sobre a matéria". Desse modo, intime-se a parte Autora para, em 30 (trinta) dias manifestar sua adesão ao acordo homologado, informando os dados bancários para depósito do montante devido pela parte Ré. Realizada a adesão pela parte Autora, fixo o prazo de 30 (trinta) dias à CAIXA para cumprir a obrigação de pagar, comprovando o pagamento, nos autos.. Em seguida, dê-se ciência à parte Autora, vindo-me conclusos para sentença. Rejeitada a adesão, mantenha-se o feito sobrestado. Intimem-se.

   

0004826-87.2007.4.05.8200 ESPÓLIO DE JOSÉ GILSON NUNES DE CASTRO REPRESENTADO POR FRANCISCA REGINA ANGELICA GONÇALVES CASTRO (Adv. ALEXANDER THYAGO GONÇALVES NUNES DE CASTRO) X CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF (Adv. FRANCISCO EDWARD AGUIAR NETO)

O Supremo Tribunal Federal homologou acordo formulado pela Advocacia-Geral da União, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - IDEC, a Frente Brasileira pelos Poupadores - FEBRAPO, a Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN e a Confederação Nacional do Sistema Financeiro - CONSIF, cujo termo "prevê o pagamento pelos bancos dos valores correspondentes aos expurgos inflacionários de poupança, conforme limites e critérios previstos no instrumento de acordo, em consonância, regra geral, com o que vem sendo decidido pelo Superior Tribunal de Justiça sobre a matéria". Desse modo, intime-se a parte Autora para, em 30 (trinta) dias manifestar sua adesão ao acordo homologado, informando os dados bancários para depósito do montante devido pela parte Ré. Realizada a adesão pela parte Autora, fixo o prazo de 30 (trinta) dias à CAIXA para cumprir a obrigação de pagar, comprovando o pagamento, nos autos.. Em seguida, dê-se ciência à parte Autora, vindo-me conclusos para sentença. Rejeitada a adesão, mantenha-se o feito sobrestado.

   

0010017-79.2008.4.05.8200 GIRLEIDE PALMEIRA RANGEL DE FIGUEIREDO (Adv. ROSSANA FIGUEIREDO LACERDA) X CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF (Adv. FRANCISCO EDWARD AGUIAR NETO)

O Supremo Tribunal Federal homologou acordo formulado pela Advocacia-Geral da União, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - IDEC, a Frente Brasileira pelos Poupadores - FEBRAPO, a Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN e a Confederação Nacional do Sistema Financeiro - CONSIF, cujo termo "prevê o pagamento pelos bancos dos valores correspondentes aos expurgos inflacionários de poupança, conforme limites e critérios previstos no instrumento de acordo, em consonância, regra geral, com o que vem sendo decidido pelo Superior Tribunal de Justiça sobre a matéria". Desse modo, intime-se a parte Autora para, em 30 (trinta) dias manifestar sua adesão ao acordo homologado, informando os dados bancários para depósito do montante devido pela parte Ré. Realizada a adesão pela parte Autora, fixo o prazo de 30 (trinta) dias à CAIXA para cumprir a obrigação de pagar, comprovando o pagamento, nos autos.. Em seguida, dê-se ciência à parte Autora, vindo-me conclusos para sentença. Rejeitada a adesão, mantenha-se o feito sobrestado.

   

0010190-06.2008.4.05.8200 AILZA BARBOSA LEITE (Adv. LAURO MONTENEGRO SARMENTO DE SA, DANIEL DE OLIVEIRA ROCHA, JOAO PAULO DE JUSTINO E FIGUEIREDO) X CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF (Adv. FRANCISCO EDWARD AGUIAR NETO)

O Supremo Tribunal Federal homologou acordo formulado pela Advocacia-Geral da União, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - IDEC, a Frente Brasileira pelos Poupadores - FEBRAPO, a Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN e a Confederação Nacional do Sistema Financeiro - CONSIF, cujo termo "prevê o pagamento pelos bancos dos valores correspondentes aos expurgos inflacionários de poupança, conforme limites e critérios previstos no instrumento de acordo, em consonância, regra geral, com o que vem sendo decidido pelo Superior Tribunal de Justiça sobre a matéria". Desse modo, intime-se a parte Autora para, em 30 (trinta) dias manifestar sua adesão ao acordo homologado, informando os dados bancários para depósito do montante devido pela parte Ré. Realizada a adesão pela parte Autora, fixo o prazo de 30 (trinta) dias à CAIXA para cumprir a obrigação de pagar, comprovando o pagamento, nos autos.. Em seguida, dê-se ciência à parte Autora, vindo-me conclusos para sentença. Rejeitada a adesão, mantenha-se o feito sobrestado. Intimem-se.

   

EMBARGOS À EXECUÇÃ0

   

0000110-70.2014.4.05.8200 UNIÃO (Adv. PETROV FERREIRA BALTAR FILHO) X MUNICÍPIO DE MATURÉIA - PB (Adv. DORIS FIÚZA CHAVES)

Os presentes Embargos foram baixados a este Juízo em sobrestamento, em face do Recurso Especial nº 1.672.202-PB interposto pela UNIÃO (cf. fls. 378 e 417). Diante da decisão proferida no referido Recurso Especial (fls. 440/444), que determinou o retorno dos autos à Corte de origem em razão de recurso representativo da controvérsia e/ou de repercussão geral, devolva-se o presente procedimento ao Egrégio TRF da 5ª Região, independente de decurso do prazo. Por outro lado, prejudicados estão os pedidos formulados às fls. 420, 438 e 445, porque já apreciados em decisão proferida às fls. 376/378. Restou prejudicado também o pedido às fls. 454/455, tendo em vista que os presentes embargos não transitaram em julgado. Intime-se. Cumpra-se com prioridade. FORMA DE CUMPRIMENTO: 1- Publicação; 2- Remessa ao TRF5, mediante digitalização e inclusão no Sistema PJE, independente de decurso do prazo deste despacho.

   

EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL

   

0006480-36.2012.4.05.8200 CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF (Adv. JAIME MARTINS PEREIRA JUNIOR) X IMA ALIMENTOS INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA E OUTROS (Adv. LEONARDO DE AGUIAR BANDEIRA)

Cumpra-se o despacho às fls. 230 e verso, itens 4 em diante (4. Acaso reste infrutífera a citação dos executados, por não mais residirem no endereço indicado, expeça-se edital para citação de todos os executados, com prazo de vinte dias, nos termos do art. 257 do CPC.), expedindo edital em relação aos executados IMA ALIMENTOS, INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA, ODETE DE OLIVEIRA FERREIRA E JOACIL DE OLIVEIRA FERREIRA. Quanto ao executado JOSÉ OLAVO FERREIRA, intime-se, novamente, a CAIXA sobre a notícia de seu falecimento, constante na certidão às fls. 240, para pronunciamento, no prazo de cinco dias.

   

0007396-90.2000.4.05.8200 UNIAO (ADVOCACIA GERAL DA UNIAO) (Adv. JOSE GALDINO DA SILVA FILHO, ARTHUR MARTINS MARQUES NAVARRO) X SEBASTIAO TAVARES DE OLIVEIRA (Adv. JOHNSON G. DE ABRANTES, EDWARD JOHNSON G. ABRANTES, EDWARD JOHNSON GONÇALVES DE ABRANTES, BRUNO LOPES DE ARAÚJO, JOAO DA MATA DE SOUSA FILHO, RAFAEL SANTIAGO ALVES)

Mantenho a decisão agravada, pelos seus próprios fundamentos. Permaneçam os autos sobrestados por força da matéria se encontrar submetida à Repercussão Geral - RE636886/AL. Intime-se o executado da decisão de fls. 457/458, bem como do presente despacho. Intimem-se. Cumpra-se.

   

EXECUÇÃO CONTRA FAZENDA PÚBLICA

   

0000869-44.2008.4.05.8200 SINDICATO DOS TRAB. EM SERV. PUB. FEDERAL NO ESTADO DA PB-SINTSERF/PB E OUTROS (Adv. MÔNICA DE SOUSA ROCHA BARBOSA) X UNIAO (MINISTERIO DOS TRANSPORTES) (Adv. BENEDITO HONORIO DA SILVA)

Cuida-se de ação de execução de sentença, promovida pelo SINDICATO DOS TRAB. EM SERV. PUB. FEDERAL NO ESTADO DA PB-SINTSERF/PB em face da UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA - UFPB. Expedida requisição de pagamento, veio a noticia do falecimento do exequente MILTON GOMES CHACON, conforme consta às fls. 291. Maria Lucas dos Santos Chacon, na qualidade de pensionista do de cujus, requereu habilitação para fins de recebimento do crédito deixado pelo extinto servidor (fls.289/293), ficando pendente a análise após apresentação de habilitação dos filhos ou eventual renuncia em favor da requerente, conforme decisão à fls. 309 Às fls. 333/342, desta feita, consta pedido de habilitação de Verônica Maria dos Santos Chacon e Jerry Adriano dos Santos Chacon, na qualidade de filhos de MILTON GOMES CHACON, comunicando, na oportunidade, o falecimento da pensionista Maria Lucas dos Santos Chacon, sem apresentar a certidão de óbito da mesma. Consta, ainda, requerimento de expedição de nova requisição de pagamento em favor dos requerentes, de acordo com as cotas que cada uma das partes faz jus, tendo em vista a requisição de pagamento depositada em favor do servidor falecido foi cancelada, nos termos da Lei 13.463/2017. Às fls. 345, a União apresenta impugnação a pedido de habilitação. Assim sendo, intime-se o advogado dos requerentes para, no prazo de 15(quinze) dias, comprovar o óbito da pensionista do servidor falecido. Após, voltem os autos conclusos. João Pessoa/PB, ____/03/2018.

   

0001050-02.1995.4.05.8200 MARIA TEREZA MAIA PINHEIRO E OUTROS (Adv. JOSE GERALDO CARNEIRO LEAO, HAROLDO CARNEIRO LEAO, NILVA FOLETTO, LUÍS GERALDO SOARES LUSTOSA, CLAIR MARTINI) x JOSE CORREIA NUNES E OUTROS X INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO SOCIAL - INSS (Adv. SEM PROCURADOR)

Na petição (fls. 2763/2766), os exequentes requerem que este Juízo promova os atos necessários ao restabelecimento dos precatórios equivocadamente cancelados. Para tanto, expoem que o cancelamento dos precatórios não mais subsiste após o julgamento do agravo de instrumento AGTR0807763-47.2017.4.05.0000. No caso, o agravo de instrumento foi interposto pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS em face da decisão proferida às fls. 2616/2617, que deferiu a expedição de precatório da parte incontroversa da execução, R$ 12.913.188,23, com a determinação de bloqueio do valor requisitado, ante a possibilidade de alteração do entendimento desta magistrada, em grau de recurso, quanto à inexigibilidade do título, à prescrição ou à alteração da conta elaborada pela Assessoria Contábil. A Primeira Turma do eg. TRF da 5ª Região, em sede do aludido agravo de instrumento, distribuído sob o n.º 0807763-47.2017.4.05.0000, deferiu o pedido de efeito suspensivo formulado pelo INSS, para determinar a suspensão da expedição do precatório (fls. 2661/2662). À vista da decisão, foi proferido o despacho (fls. 2663), que determinou a expedição de ofício ao TRF da 5ª Região, solicitando-lhe o cancelamento dos precatórios expedidos (fls. 2619/2644). Informado o cancelamento dos precatórios pela Seção de Pagamento e Processamento de Precatórios do TRF da 5ª Região (fl. 2668/2682). Consultado os autos do agravo de instrumento, depreende-se que o mesmo foi julgado, sendo-lhe negado provimento para manter a decisão agravada. Ocorre que o acórdão, proferido pela Primeira Turma do Tribunal Regional da 5ª Região, ainda não transitou em julgado, porquanto o INSS apresentou embargos de declaração, encontrando-se os autos conclusos para decisão em 02/02/2018. Dessa maneira, indefiro o pedido formulado. Aguarde-se o julgamento dos embargos n.º 0803778-16.2014.4.05.8200 opostos à presente execução. Intimem-se os exequentes.

   

0004069-25.2009.4.05.8200 SINDSPREV - SINDICATO DOS TRABALHADORES PUBLICOS EM SAUDE E PREVIDENCIA DO ESTADO DA PARAIBA (Adv. YURI PORFIRIO CASTRO DE ALBUQUERQUE, JOSE RAMOS DA SILVA, EDVAN CARNEIRO DA SILVA) x MARLENE ALMEIDA DE ANDRADE (Adv. MARCOS ANTONIO INACIO DA SILVA, NARRIMAN XAVIER DA COSTA, KARLA GABRIELA SOUSA LEITE, CAIO TIBERIO BARBALHO DA SILVA, TANIELLE KÉZIAH DE SOUSA FREIRE, LETICIA BOLZANI GONDIM, JOÃO PAULO BARBALHO INACIO DA SILVA) X FRANCISCO IEMIRTON BRAGA (Adv. MARCOS ANTONIO INACIO DA SILVA, NARRIMAN XAVIER DA COSTA, KARLA GABRIELA SOUSA LEITE, CAIO TIBERIO BARBALHO DA SILVA, TANIELLE KÉZIAH DE SOUSA FREIRE, LETICIA BOLZANI GONDIM, JOÃO PAULO BARBALHO INACIO DA SILVA) x FRANCISCO COELHO P. DE MELLO (Adv. JOAO PAULO DE JUSTINO E FIGUEIREDO) x UNIAO (MINISTERIO DA SAUDE) (Adv. SEM PROCURADOR)

Cuida-se de execução por titulo judicial movida pelo SINDSPREV em face da UNIÃO. Os presentes autos encontravam-se arquivados por força do despacho às fls. 766, tendo em vista que as execuções tramitam em autos desmembrados, em razão do número de substituídos (1.315 substituídos), conforme despacho às fls. 685, tendo retornado do arquivo para fins de apreciar a petição acostada às fls. 768/792. Os exequentes FRANCISCO IEMIRTON BRAGA (fls.768/775), MARLENE ALMEIDA DE ANDRADE (fls. 777//783) e FRANCISCO COELHO PEREIRA DE MELLO vêm requerer a reexpedição de requisitório de pagamento que foram cancelados por força da Lei da Lei nº 13.463/2017 . Restou prejudicado a apreciação dos referidos pleitos, haja vista que as ordens de pagamento em tela foram expedidas nas ações de execução respectivas. Sendo assim, deverão as partes formular o pedido de expedição de requisição nas execuções desmembradas a qual se refere. Intimem-se, em seguida retornem os autos ao arquivo. Anotações cartorárias quanto aos instrumentos procuratórios acostados às fls. 770, 779 e 787.

   

0004858-58.2008.4.05.8200 ANDES - SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUICOES DE ENSINO SUPERIOR-ADUFPB/CG E OUTROS (Adv. PAULO GUEDES PEREIRA, AGOSTINHO ALBERIO FERNANDES DUARTE) X UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA - UFPB (Adv. SERGIO BENEVIDES FELIZARDO (UFPB))

Cuida-se de Cumprimento de Sentença movida pelo SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - ADUFCG em face da UFPB. Regularmente processado o feito, este Juízo expediu requisitórios de pagamento para satisfação do débito. Nos documentos juntados aos autos às fls.310/321 foi noticiado o pagamento das requisições de pequeno valor, tendo sido o interesse do exequente plenamente satisfeito. Do exposto, face integral cumprimento da obrigação, declaro, por sentença, extinta a presente execução e o faço com arrimo no art. 924, II, do CPC, para surtir seus jurídicos e legais efeitos.

   

0004863-80.2008.4.05.8200 ANDES - SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUICOES DE ENSINO SUPERIOR-ADUFPB/CG E OUTROS (Adv. PAULO GUEDES PEREIRA, AGOSTINHO ALBERIO FERNANDES DUARTE) x EDIMAR MESQUITA DE OLIVEIRA x HERETIANO GURJAO FILHO X UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA - UFPB (Adv. SERGIO BENEVIDES FELIZARDO (UFPB))

Intimada sobre a decisão proferida às fls. 327, a ANDES opõe Embargos de Declaração (fls. 332/333), aduzindo que há omissão naquele comando, uma vez que não se pronunciou sobre o pedido de retenção de honorários contratuais, consoante pleiteado no requerimento de habilitação. Requer, assim, o provimento do recurso para afastar a omissão, autorizando a retenção pleiteada. Intimado sobre os aclaratórios, a UFPB apresentou pronunciamento às fls. 336, aduzindo que não se opõe aos embargos de declaração relativos ao destaque de honorários contratuais. Breve relato. Decido Os Embargos de Declaração devem ser apreciados no sentido de elucidar aspectos do julgado que poderiam acarretar dúvidas em sua execução, sem, no entanto, alterar os lindes traçados no artigo 535 do Código de Processo Civil. Têm por finalidade eliminar contradições ou obscuridades ou suprir omissões contidas na decisão judicial. Salvo em situações raras e excepcionais, não cabe o manejo do referido recurso para o fim de emprestar-lhes efeitos modificativos, fundado apenas no inconformismo da parte, eis que a finalidade dos Embargos de Declaração é a celeridade e a correção de um simples erro/engano de fácil detecção, cometido no corpo da decisão. Não é função dos embargos a rediscussão da matéria já decidida, alterando os fundamentos da resolução judicial. No caso em apreço, vislumbro a existência de omissão, que merece ser sanada, uma vez que não foi apreciado o pedido de retenção dos honorários contratuais requeridos na petição de fls. 295/296. Tem-se dos autos que houve a determinação da feitura de cálculos e expedição de requisitórios, conforme critérios determinados às fls. 180/181 e fls. 182/200, contudo, ainda não houve a expedição de requisitório de pagamento em relação ao substituído falecido - HERITIANO GURJÃO FILHO, conforme certidão aposta às fls. 228, em face da informação de seu falecimento às fls. 212. Posteriormente, veio aos autos a viúva/pensionista do referido substituído, KARINA PEREIRA GURJÃO, requerendo sua habilitação e retenção dos honorários contratuais conforme petição e documentos acostados às fls. 295/307. Às fls. 337 foi proferida decisão deferindo a habilitação para KARINA PEREIRA GURJÃO e MARIA DO SOCORRO LINO, por serem as únicas pensionistas do falecido, conforme declaração da UFPB às fls.302, porém não houve a apreciação do pedido de retenção dos honorários contratuais. Desse modo, uma vez que ainda não houve a expedição do requisitório de pagamento, defiro o pedido de retenção dos honorários contratuais sobre os valores a serem recebidos por KARINA PEREIRA GURJÃO, no percentual de 20%, conforme procuração termo de acordo às fls. 301. Desta feita, tendo a decisão embargada incorrido em omissão, merecem acolhimento os aclaratórios. DISPOSITIVO Isto posto, ACOLHO os Embargos de Declaração opostos pela ANDES para, integrando a decisão proferida às fls. 337, deferir o pedido de retenção dos honorários contratuais sobre os valores a serem recebidos por KARINA PEREIRA GURJÃO, no percentual de 20%, conforme termo de acordo às fls. 301. Por oportuno, observo que não há nos autos pedido de habilitação quanto a ex-esposa do falecido, MARIA DO SOCORRO LINO, de modo que, retifico a decisão de fls. 327, excluindo a habilitação de Maria do Socorro Lino, no entanto, quanto à mesma, deverá ser resguardada a cota de 50% dos valores devidos ao substituído falecido - HERITIANO GURJÃO FILHO, uma vez que apresenta a qualidade de pensionista juntamente com a cônjuge Karina Pereira Gurjão. Quanto à petição juntada às fls. 338, requerendo nova expedição de requisitório referente aos valores devolvidos ao Tesouro Nacional por força da Lei nº 13.463/2017, em nome de ANTONIO DE OLIVEIRA GALVÃO - RPV 2015.82.0003.001370, fls. 220, defiro a expedição de novo requisitório, uma vez não haver nenhum óbice ao levantamento dos valores depositados. Quando da expedição da nova requisição de pagamento, deverá ser considerado o valor devolvido e a data-base será a data da respectiva devolução, devendo, ainda, ser observado que não haverá incidência de juros, tendo em vista que a UFPB não deu causa à transferência dos valores depositados para a Conta Única do Tesouro Nacional, porquanto realizada observando-se os termos da Lei nº 13.463/2017. A Secretaria para as correções cartorárias devidas, em face da habilitação de KARINA PEREIRA GURJÃO. Expeçam-se os requisitórios. Decorrido o prazo e sem manifestação contrária, encaminhem-se as Requisições ao TRF5ª Região. Após, venham-me os autos conclusos para sentença (extinção da execução), em virtude dos depósitos dos requisitórios já efetuados na presente ação. Intimem-se. Cumpra-se.

   

0005078-85.2010.4.05.8200 MARIA DO SOCORRO BATISTA DE LIMA E OUTROS (Adv. MARCOS DOS ANJOS PIRES BEZERRA, NAVILA DE FATIMA GONCALVES VIEIRA, EMERSON MOREIRA DE OLIVEIRA, IVAMBERTO CARVALHO DE ARAUJO) X UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA - UFPB (Adv. FRANCISCO DAS CHAGAS GIL MESSIAS)

Cumpridas as determinações constantes às fls. 1306/1307, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil S/A, às fls. 1317 e 1320/1321, respectivamente, informam sobre a cessão dos requisitórios expedidos em favor de Marcos dos Anjos Pires Bezerra para Bernardo Joaquim Ridolfo Maria Ridolfi. Às fls. 1324/1326, Luiz Guedes da Luz Neto e Luís Fernando Pires Braga, cessionários dos créditos do substituído José Gílson Ferreira de Figueiredo, vem informar que, na Execução Fiscal nº 2002.82.00.003266-4, foi proferida sentença reconhecendo a prescrição contra a Fazenda Pública Nacional e, por conseguinte, tornando sem efeito a penhora realizada no rosto destes autos. Informa, também, que o TRF - 5ª Região confirmou, por unanimidade, a sentença de primeiro grau. Requer, assim, seja concretizada a alteração da titularidade do Precatório nº PRC139495-PB para o nome dos cessionários, mantendo a ordem de pagamento bloqueada até o trânsito em julgado da execução fiscal acima mencionada. Breve relato. DECIDO. Conforme consulta em anexo, verifico que, de fato, na Execução Fiscal nº 2002.82.00.003266-4 (0003266-86.2002.4.05.8200) foi proferida sentença, cuja parte dispositiva transcrevo abaixo: (...) Isso posto, porque prescrita a pretensão fazendária para o redirecionamento da exação, declaro a nulidade da decisão à fl. 106 que determinou a inclusão de José Gílson Ferreira de Figueiredo no polo passivo da execução, e, ato contínuo, nos termos do art. 487, II, c/c o art. 924, V, do CPC/2015, e com o art. 40 da Lei nº 6.830/1980, extingo a execução fiscal pela ocorrência da prescrição intercorrente com relação aos créditos objeto das CDAs nºs 42 6 01 001300-79 (processo-piloto) e 42 2 01 000423-40 (processo-apenso nº 2002.82.00.004197-5). Sem custas (art. 39 da LEF, e art. 4º, I, da Lei nº 9.289/1996). Sem condenação em honorários advocatícios, tanto porque ausente representação técnica dos executados, como por aplicação analógica da razão de decidir esposada na AC nº 591128/TRF 5ª Região3, julgada em 27/10/2016. Após o trânsito em julgado, levantante-se a penhora de que cuida o auto à fl. 178. Junte-se cópia desta sentença no PJe nº 0804083-29.2016.4.05.8200. Sentença não sujeita a reexame necessário (art. 496 CPC/2015). Adote a Secretaria as providências de praxe. Publique-se. Registre-se. Intime-se. (GRIFEI) Verifico, também, em consulta ao sítio do Eg. TRF - 5ª Região, que aquele feito ainda não transitou em julgado, encontrando-se na fase "Aguardando publicação", em 26/02/2018. Desta feita, uma vez que o bloqueio do precatório expedido em nome de José Gílson Ferreira de Figueiredo existe por força de ordem expedida pelo Juízo da 5ª Vara Privativa das Execuções Fiscais desta Seção Judiciária, refoge à competência desta 3ª Vara Federal autorizar ou não a medida pretendida, razão pela qual fica prejudicada a apreciação do pedido formulado às fls. 1324/1326. Permaneça o feito sobrestado, aguardando o trânsito em julgado do Agravo de Instrumento nº 0805900-90.2016.4.05.8200, bem como da Execução Fiscal nº 2002.82.00.003266-4 (0003266-86.2002.4.05.8200), em trâmite perante a 5ª Vara Federal desta Seção Judiciária, devendo a Secretaria deste Juízo certificar, periodicamente, sobre o andamento dos feitos. I. P.

   

0005652-40.2012.4.05.8200 SAMUEL DE ARAÚJO PENAFORTE (Adv. JURANDIR PEREIRA DA SILVA, RIVANA CAVALCANTE VIANA CRUZ, IVO CASTELO BRANCO PEREIRA DA SILVA, ANDRE CASTELO BRANCO PEREIRA DA SILVA) X INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO SOCIAL - INSS (Adv. SEM PROCURADOR, LUIZ RODRIGUES)

Defiro o credenciamento do Sr. LUIZ RODRIGUES (CPF sob nº. 797.712.624-91) requerido pelo Bel. Jurandir Pereira da Silva nos termos do art.272, §§ 6º e 7º do CPC abaixo transcrito (fl.290). Art. 272. Quando não realizadas por meio eletrônico, consideram-se feitas as intimações pela publicação dos atos no órgão oficial. § 6o A retirada dos autos do cartório ou da secretaria em carga pelo advogado, por pessoa credenciada a pedido do advogado ou da sociedade de advogados, pela Advocacia Pública, pela Defensoria Pública ou pelo Ministério Público implicará intimação de qualquer decisão contida no processo retirado, ainda que pendente de publicação. § 7o O advogado e a sociedade de advogados deverão requerer o respectivo credenciamento para a retirada de autos por preposto. Anotações necessárias. Publique-se este ato judicial e a decisão de fls.287/288. Após, cumpra-se a decisão de fls.272/272v, bem assim o penúltimo parágrafo e seguinte do ato judicial de fls.260/264v.

   

0007056-68.2008.4.05.8200 SINDICATO DOS TRABALHADORES EM SERVICO PUBLICO FEDERAL NO ESTADO DA PARAIBA - SINTSERF E OUTROS (Adv. ROGÉRIO CUNHA ESTEVAM) x RONILSON CORDEIRO DA SILVA E OUTROS (Adv. FABIANO MIRANDA GOMES) x DACIO BRILHANTE BATISTA (Adv. MÔNICA DE SOUSA ROCHA BARBOSA, JIMENNA ROCHA CORDEIRO GUEDES) x MARIA DA CONCEIÇÃO CORDEIRO DA SILVA E OUTRO X DEPARTAMENTO NACIONAL DE OBRAS CONTRA AS SECAS - DNOCS (Adv. ALZIRA CABRAL MEDEIROS)

Cuida-se de pedido de destaque de honorários contratuais, referente ao Precatório n.º2015.82.00.003.001281, expedido em favor de Maria Dalva Brilhante Batista, depositado no Banco do Brasil S/A em 03/11/2016. Ocorre que o saque não foi efetuado em face do óbito da servidora. No despacho às fls. 375/377, foi deferida a habilitação de Dácio Brilhante Batista, único herdeiro da servidora beneficiária. Em cumprimento ao despacho de fls. 375/377, foi expedido ofício ao Egrégio TRF, bem como a instituição financeira comunicando a habilitação deferida, para fins de liberação dos valores depositado em nome do habilitado (fls. 391 e 394/396). Diante deste cenário, resta prejudicado o pedido referente ao destaque de honorários contratuais do advogado(fls.388). Intime-se. No decurso do prazo, dê-se baixa e arquive-se os presentes autos.

   

0009803-49.2012.4.05.8200 HÉLIO OTÁVIO COSTA E OUTROS (Adv. YURI PORFIRIO CASTRO DE ALBUQUERQUE, JOSE RAMOS DA SILVA, EDVAN CARNEIRO DA SILVA, FELIPE SARMENTO CORDEIRO, YANE CASTRO DE ALBUQUERQUE, GIOVANNA PAIVA PINHEIRO DE ALBUQUERQUE BEZERRA, AUGUSTO CARLOS BEZERRA DE ARAGÃO FILHO) x HUMBERTO DE OLIVEIRA LIMA X UNIAO (MINISTERIO DA SAUDE) (Adv. SEM PROCURADOR)

Cuida-se de execução de sentença promovida por HÉLIO OTÁVIO COSTA E OUTROS em face da UNIÃO, com sentença de extinção proferida às fls. 202. Às fls. 210/223, KALINA LIGIA MEDEIROS DE OLIVIERA LIMA LEITE, LATIA ADRIANA MEDEIROS DE OLIVEIRA LIMA E KARLA REGINA MEDEIROS DE OLIVEIRA, filhas do exeqüente HUMBERTO DE OLIVEIRA LIMA, falecido no curso da demanda (08/04/2011), vem requerer habilitação nos autos e que seja oficiado ao Banco do Brasil para que se mantenham bloqueados e à disposição deste juízo os valores retidos em favor do de cujus até ulterior deliberação. Processado o feito, observo que foram expedidos requisitórios de pagamento em favor do falecido às fls. 162, 192 e 193, constando informações sobre os valores depositados junto ao Banco do Brasil e colocados à disposição deste juízo, fls. 233/235. Às fls. 242, a União defendeu o indeferimento da habilitação requerida, em virtude do falecimento do exequente HUMBERTO DE OLIVEIRA LIMA ter ocorrido em data anterior à execução, 08/04/2011 e 19/12/2012 respectivamente, o que acarretaria a falta de capacidade civil do exequente para figurar como parte na execução, impossibilitando a habilitação dos seus sucessores. Decido. Tendo-se em vista que a fase de cumprimento do julgado e/ou de execução constitui uma continuidade da fase de conhecimento, visando à materialização do direito que fora reconhecido, logo, e embora se tenha provido a execução em ação desmembrada, não se há falar, à luz da Lei 11.232/2005, que suprimiu a separação entre processo de conhecimento e de execução, que existem ações distintas. Assim, atentaria contra a celeridade e economia processuais suspender ou extinguir uma execução em razão de falecimento da parte quando se sabe que a morte não extingue o direito de crédito, que será repassado aos herdeiros ou sucessores, após realizadas suas habilitações. Nesse sentido, o precedente judicial: PREVIDENCIÁRIO. EMBARGOS À EXECUÇÃO. REAJUSTE DE 3,17%. SINDICATO. ART. 8º, III DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. LEGITIMIDADE. SUBSTITUIÇÃO PROCESSUAL. EXECUÇÃO DE SENTENÇA. ÓBITO DO FILIADO EM DATA ANTERIOR À PROPOSITURA DA EXECUÇÃO. HABILITAÇÃO DOS SUCESSORES. 1. "O artigo 8º, III da Constituição Federal estabelece a legitimidade extraordinária dos sindicatos para defender em juízo os direitos e interesses coletivos ou individuais dos integrantes da categoria que representam. Essa legitimidade extraordinária é ampla, abrangendo a liquidação e a execução dos créditos reconhecidos aos trabalhadores. Por se tratar de típica hipótese de substituição processual, é desnecessária qualquer autorização dos substituídos. Recurso conhecido e provido." 2. Embora a morte importe na perda da personalidade jurídica da pessoa natural e em consequência leve à extinção da capacidade processual, não sendo formalmente correta a propositura da execução pelo sindicato em nome de filiado falecido no curso do processo de cognição, em homenagem ao princípio da instrumentalidade a jurisprudência vem abandonando o aspecto puramente formal para admitir o prosseguimento da execução em nome dos sucessores que se habilitarem para receber as parcelas devidas até a data do óbito do segurado. 3. Considerando, também, o princípio da economia processual, não há que se falar em inexigibilidade do título executivo, quando não ocorre a suspensão do processo após o falecimento do exequente, pois, a morte não significa, necessariamente, a extinção da execução, uma vez que o crédito da parte falecida pode ser direcionado aos seus sucessores/herdeiros que, eventualmente, se habilitarem nos autos. 4. Oportuno consignar que a ausência de habilitação dos sucessores/herdeiros, in casu, não trouxe qualquer prejuízo para a parte embargante (não há nulidade sem prejuízo), até porque o direito dos substituídos do embargado já foi reconhecido no processo de conhecimento. Ademais, posterior habilitação dos sucessores/herdeiros, ratificando os atos praticados pelo patrono, terá o condão de afastar, por completo, eventual nulidade, tudo, como dito, em prestígio ao princípio da economia processual. 5. Apelação a que se nega provimento. AC00115625920054013300. AC - APELAÇÃO CIVEL - 00115625920054013300. Relator AC - APELAÇÃO CIVEL - 00115625920054013300. TRF1. Segunda Turma. e-DJF1 DATA:16/09/2013 PAGINA:107. Data decisão 02/09/2013. Data Publicação: 16/09/2013. Desse modo, constando na certidão de óbito que o falecido era desquitado e vivia maritalmente com Sandra Maria Monteiro Dias (declarante), deixando três filhas (KALINA, KATIA E KARLA) e, restando comprovado nos autos o falecimento de Sandra Maria Monteiro, defiro a habilitação de Kalina Ligia Medeiros de Oliveira Lima Leite, Katia Adriana Medeiros de Oliveira Lima e Karla Regina Medeiros de Oliveira. À Distribuição para as anotações necessárias. Após o prazo de preclusão, oficie-se ao BANCO DO BRASIL S/A para que proceda à liberação dos valores constantes da RPV nº. 2013.82.00.003.000879 (RPV1003895-PB), 2016.82. 00.003.000027 (RPV1506248-PB) e 2016.82.00.003.000028 (RPV 1506249-PB), para as habilitandas citadas acima, observando a proporção de 1/3 para cada uma. Intimem-se. Cumpra-se.

   

EXECUÇÃO PROVISÓRIA DE SENTENÇA 

   

0004026-44.2016.4.05.8200 MINISTÉRIO PUBLICO FEDERAL (Adv. DUCIRAN VAN MARSEN FARENA) X FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS - UNITINS (Adv. FABRÍCIO TEIXEIRA NOLETO, JAIANA MILHOMENS GONÇALVES, CASSEMIRO ALVES DOS SANTOS, DAMIEN ZAMBELLINI, GENIVAN CAETANO DE ALMEIDA, ERION SCHLENGER DE PAIVA MAIA, JOICY SILVA LUSTOSA) x EADCON - SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO CONTINUADA LTDA. (Adv. KELLEN MORO TEIXEIRA, RENATA CERCI POMPERMAYER RUSCHEL, ALESSANDRA REDUA LEONARDECZ, INAE BRUSTOLIN DE MELO, KARIN CRISTINA BORIO MANCIA, SIMONE ZONARI LETCHACOSKI) x UNIÃO (Adv. SEM PROCURADOR)

A UNIVERSIDADE ESTADUAL DE TOCANTINS - UNITINS vem, na petição às fls. 81/248, impugnar a execução das astreintes (fls. 76/79), requerendo o reconhecimento de sua inexigibilidade ante o regular cumprimento da determinação judicial proferida em sede de sentença nos autos principais nº 0005042-09.2011.4.05.8200, conforme documentação constante dos autos. Requer, ainda, o reconhecimento da natureza jurídica de fundação pública; e que, caso se mantenha a astreinte, que seja, portanto, emitido requisitório ao presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Tocantins para fins de inscrição na lista de Precatórios. Às fls. 252/253, o MPF vem discordar do cumprimento integral da liminar nos moldes da sentença exarada nos autos da ACP nº 0005042-09.2011.4.05.8200, entendendo ser cabível a execução das astreintes, pugnando pela improcedência da impugnação apresentada pela ré. A ré Sociedade de Educação Continuada Ltda - EADCON não se pronunciou (cf. certidão às fls. 80). DECIDO. Cuida-se de execução provisória de sentença em Ação Civil Pública (0004052-09.2011.4.05.8200), na qual foi ratificada a decisão liminar, determinando as rés: Fundação Universidade do Tocantins - UNITINS e Sociedade de Educação Continuada Ltda - EADCON o seguinte: a) À ré UNITINS: que providencie a regularização documental e acadêmica dos alunos listados no ofício encaminhado ao MPF pela UNITINS em 08 de junho de 2011 (fls. 270 dos autos), mediante adoção de todas as providências necessárias para solução das pendências de responsabilidade da UNITINS, tais como oferta de disciplinas, estágios, regularização de mapas de registros acadêmicos, bem como a emissão de diploma dos que já obtiveram o certificado de conclusão do curso; b) As rés EADCON e UNITINS: deverão disponibilizar para apoio e atendimento aos alunos matriculados em João Pessoa-PB, estrutura consistente em sala de atendimento, dotada de computador com banda larga para pesquisa, salas de aula e equipamentos que se fizerem necessários para oferta das disciplinas faltantes. Igualmente, deverão disponibilizar pessoal especializado - no mínimo, uma secretária e um coordenador acadêmico - disponíveis em horário comercial, especialmente para efetuar a comunicação com a matriz da Instituição de Ensino, realizar consultas de situação acadêmica e emissão de documentos. Os autos principais encontram-se em sede de recurso de apelação (AC592716-4ª Turma TRF5), recebido no efeito devolutivo quanto à decisão que deferiu a liminar. Verifica-se dos autos que não há efetiva comprovação do cumprimento da obrigação elencada no item b. Não raro o cumprimento das ordens judiciais pelos entes públicos se transforma em verdadeiro exercício de paciência para o magistrado, incentivando, ainda, o descrédito, pelas pessoas, em relação ao Poder Judiciário. Em um Estado democrático de Direito é preciso que as decisões judiciais sejam respeitadas. E respeitá-las, significa cumpri-las. O cerne da discussão diz respeito à exclusão da multa aplicada a UNIVERSIDADE ESTADUAL DE TOCANTINS - UNITINS pela demora no cumprimento da Obrigação de Fazer, ante a sua inexigibilidade pelo regular cumprimento da determinação judicial proferida em sede de sentença nos autos principais nº 0005042-09.2011.4.05.8200, bem como que eventual cobrança seja feita por meio de requisitório ao presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Tocantins para fins de inscrição na lista de Precatórios. Conforme preceitua o art. 537, §3º do CPC/2015, é passível o cumprimento provisório da multa fixada para fins de efetivação da tutela específica, com depósito judicial, ficando sobrestado seu levantamento após o trânsito em julgado da sentença. A jurisprudência já firmou entendimento que a decisão que fixa multa pela demora no cumprimento de determinação judicial contra a Fazenda Pública, por decorrência de descumprimento de Obrigação de Fazer, é título executivo hábil para execução provisória. DIREITO PROCESSUAL CIVIL. ASTREINTES. EXECUÇÃO PROVISÓRIA. O valor referente à astreinte fixado em tutela antecipada ou medida liminar só pode ser exigido e só se torna passível de execução provisória, se o pedido a que se vincula a astreinte for julgado procedente e desde que o respectivo recurso não tenha sido recebido no efeito suspensivo. A multa pecuniária arbitrada judicialmente para forçar o réu ao cumprimento de medida liminar antecipatória (art. 273 e 461, §§ 3º e 4º, do CPC) detém caráter híbrido, englobando aspectos de direito material e processual, pertencendo o valor decorrente de sua incidência ao titular do bem da vida postulado em juízo. Sua exigibilidade, por isso, encontra-se vinculada ao reconhecimento da existência do direito material pleiteado na demanda. Para exigir a satisfação do crédito oriundo da multa diária previamente ao trânsito em julgado, o autor de ação individual vale-se do instrumento jurídico-processual da execução provisória (art. 475-O do CPC). Contudo, não é admissível a execução da multa diária com base em mera decisão interlocutória, fundada em cognição sumária e precária por natureza, como também não se pode condicionar sua exigibilidade ao trânsito em julgado da sentença. Isso porque os dispositivos legais que contemplam essa última exigência regulam ações de cunho coletivo, motivo pelo qual não são aplicáveis às demandas em que se postulam direitos individuais. Assim, por seu caráter creditório e por implicar risco patrimonial para as partes, a multa diária cominada em liminar está subordinada à prolação de sentença de procedência do pedido, admitindo-se também a sua execução provisória, desde que o recurso seja recebido apenas no efeito devolutivo. Todavia, revogada a tutela antecipada, na qual estava baseado o título executivo provisório de astreinte, fica sem efeito o crédito derivado da fixação da multa diária, perdendo o objeto a execução provisória daí advinda. Precedentes citados: REsp 1.006.473-PR, DJe 19/6/2012, e EDcl no REsp 1.138.559-SC, DJe 1º/7/2011. REsp 1.347.726-RS, Rel. Min. Marco Buzzi, julgado em 27/11/2012 (grifei) In casu, verifica-se que a sentença proferida ratificou os termos da decisão liminar, estando os autos aguardando julgamento de recurso de apelação, recebidos no efeito meramente devolutivo quanto à decisão que deferiu a liminar. Considerando o descumprimento da liminar ratificada na sentença de mérito, este Juízo às fls. 36/36-v, arbitrou a multa (astreinte), tendo o MPF às fls. 60/66 executado o valor de R$20.117,34, referente ao período de dez/16 a abr/17. Na mesma decisão foi majorado o valor da astreinte, nos termos do art. 537, §3º do CPC/2015, incidindo até o integral cumprimento da obrigação imposta. Nada obsta que a multa diária fixada em decisão interlocutória na fase de execução, em face do descumprimento da liminar, seja executada. Não há necessidade de trânsito em julgado para a execução da multa fixada em desfavor da executada, no presente feito, sendo certo que tal execução pode ser iniciada, não sendo possível, entretanto, a expedição do requisitório de pagamento respectivo antes do trânsito em julgado da sentença, em atenção ao disposto no art. 100 da CF/88. A esse respeito, os precedentes: AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. ASTREINTES . EXIGÊNCIA APÓS CONFIRMAÇÃO DA SUA FIXAÇÃO POR DECISÃO (SENTENÇA OU ACÓRDÃO) IMPUGNADA POR RECURSO SEM EFEITO SUSPENSIVO. INCIDÊNCIA, TODAVIA, DESDE O DIA DO SEU DESCUMPRIMENTO. 1. "As astreintes serão exigíveis e, portanto, passíveis de execução provisória, quando a liminar que as fixou for confirmada em sentença ou acórdão de natureza definitiva (art. 269 do CPC), desde que o respectivo recurso deduzido contra a decisão não seja recebido no efeito suspensivo. A pena incidirá, não obstante, desde a data da fixação em decisão interlocutória". 2. Agravo regimental a que se nega provimento. (REsp 1.347.726/RS, Quarta Turma, Rel. Min. Marco Buzzi, DJe de 4/2/2013). AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 155.974 - MG (2012/0068233-3) Brasília, 06 de junho de 2013 (Data do Julgamento) MINISTRO RAUL ARAÚJO Relator PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO DE INSTRUMENTO. OBRIGAÇÃO DE FAZER CONSISTENTE EM ENTREGA DE MEDICAMENTO SOB PENA DE MULTA. ATRASO. INCIDÊNCIA DA ASTREINTE. EXECUÇÃO PROVISÓRIA. POSSIBILIDADE. AGRAVO DE INTRUMENTO IMPROVIDO. 1. A decisão agravada, nos autos da execução provisória de sentença de origem, indeferiu o pedido de revogação da multa diária que fora imposta à ora agravante, por considerar que a fixação da astreinte mostrou-se essencial ao cumprimento da ordem judicial naquele feito (fls. 66). 2. Verifica-se que, prima facie, seria possível a execução provisória de multa pelo descumprimento, pela Fazenda Pública, de decisão judicial, imposta com base no art. 601 do CPC, sob pena de tornar-se letra morta a imposição das astreintes, conforme Precedente desta Corte Regional: AG111869/RN, Desembargador Federal Edílson Nobre, Quarta Turma, Julgamento: 22/02/2011, Publicação: DJE 03/03/2011 - Página 291. 3. Isso porque a astreinte, ou multa diária, se constitui em meio de coação, fixada para compelir a parte a cumprir com determinada obrigação, em conformidade com decisão judicial a ela dirigida. Ainda que tal obrigação já tenha sido cumprida, conforme alega a agravante, permanece a obrigatoriedade do pagamento da multa em comento, tendo em vista a demora no atendimento ao comando judicial que lhe fora imposto, o qual não fora satisfeito no prazo estabelecido para tanto. 4. Ademais, não há qualquer empecilho em que a execução de tais multas seja feita de forma provisória, nos termos do art. 475-O do CPC, sendo certo que tal execução pode ser iniciada, não sendo possível, entretanto, a expedição do requisitório de pagamento respectivo antes do trânsito em julgado da sentença, em atenção ao disposto no art. 100 da CF/88. 5. Agravo de Instrumento improvido." (AG127266/PE, Relator Desembargador Federal Manoel Erhardt, DJE 01/03/2013). Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. DIREITO PÚBLICO NÃO ESPECIFICADO. DIREITO ADMINISTRATIVO. DIREITO PROCESSUAL. EXECUÇÃO CONTRA A FAZENDA PÚBLICA. TÍTULO JUDICIAL. INAPLICABILIDADE DO ART. 475-J E SEGUINTES. REGRA ESPECIAL DO ART. 730 DO CPC. As alterações introduzidas pela Lei 11.232 /2005, com a criação do cumprimento de sentença, não derrogaram o regramento especial das execuções contra a Fazenda Pública, pois o rito especial previsto coaduna-se com as prerrogativas processuais do ente público. Assim, ainda que o título executado seja judicial, segue-se a norma constante no art. 730 do Código de Processo Civil e não àquela presente no art. 475-J e seguintes. Na hipótese, sendo reconhecida a natureza de direito público à FEPAM, a execução contra ela intentada deve seguir o rito do art. 730 do CPC . AGRAVO DE INSTRUMENTO PROVIDO. APLICAÇÃO DO ART. 557, § 1º-A, DO CPC. Agravo de Instrumento nº 70066627241, Segunda Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Ricardo Torres Hermann, Julgado em 30/10/2015. No entanto, considerando que a multa ainda está a incidir, tendo em vista que persiste o descumprimento da obrigação de fazer em sua totalidade, hei por bem determinar o sobrestamento da execução das astreintes até o integral cumprimento da medida imposta na decisão judicial. Determino que, quando da execução, sua cobrança deverá obedecer ao que regulamenta a Resolução nº 405, de 09/06/2016 do CJF, devendo-se aguardar o trânsito em julgado da ação principal para fins de expedição de requisitório de pagamento, por se tratar de execução contra a fazenda pública (ré UNITINS). No tocante ao montante das astreintes, devem-se levar em consideração os princípios da proporcionalidade e razoabilidade, de modo que não seja ínfimo para o devedor, mas que também não constitua enriquecimento sem causa para o credor. Nesse sentido, o colendo Superior Tribunal de Justiça já decidiu que "a multa diária aplicada com base no art. 461, § 6º, do CPC pode ser revista, sem implicar ofensa à coisa julgada, para ajustá-la aos parâmetro da razoabilidade e da proporcionalidade."(STJ. Quarta Turma. AGA 960846. Rel. Min. Maria Isabel Gallotti. Julg. 19/10/2010. Publ. DJe 11/11/2010). Na mesma linha: PROCESSUAL CIVIL. ASTREINTES. MAJORAÇÃO OU DIMINUIÇÃO. POSSIBILIDADE. PRINCÍPIOS DA RAZOABILIDADE E DA PROPORCIONALIDADE. COISA JULGADA MATERIAL. INEXISTÊNCIA. 1. O magistrado pode, a qualquer tempo, com fundamento no art. 461, parágrafo 6º, do CPC e em obediência aos princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, rever o valor das astreintes, podendo majorá-las ou diminuí-las. Precedentes desta Corte. . A decisão que impõe multa diária (astreintes) não faz coisa julgada material podendo ser revisto, a qualquer tempo, caso se torne insuficiente ou excessivo. Precedentes desta Corte. 3. Agravo de instrumento a que se nega provimento" (AG135255/PE, rel. Desembargador Federal Rogério Fialho Moreira, DJe 12.12.2013). Assim, não comprovado o cumprimento integral da liminar, mantenho a multa diária de R$500,00, arbitrada na decisão às fls. 76/77-v, que incidirá desde o dia do descumprimento até o efetivo cumprimento da ordem judicial. Intimem-se as rés, para que, no prazo de 10(dez) dias, comprovem o adimplemento da obrigação, indicando o local aonde funciona o atendimento aos alunos, com a estrutura determinada na decisão liminar e ratificada na sentença (sala de atendimento, computador com internet, presença de, no mínimo, uma secretária e um coordenador acadêmico - disponíveis em horário comercial). Apresentado o endereço, expeça-se mandado de constatação.

   

CUMPRIMENTO DE SENTENÇA

   

0004018-05.1995.4.05.8200 UNIÃO (Adv. BENEDITO HONORIO DA SILVA) x MINISTÉRIO PUBLICO FEDERAL x ADRIANA DE FRANCA CAMPOS x ANTONIO DE PADUA PEREIRA LEITE X MARCELO CAPISTRANO DE MIRANDA MONTE (Adv. FELIPE AUGUSTO FORTE DE NEGREIROS DEODATO, RUTH GONDIM FARIAS DE MIRANDA MONTE, ANDRÉ AIRES ROCHA RIBEIRO) x SEVERINO RAMOS DOS SANTOS E OUTRO (Adv. ADAIL BYRON PIMENTEL, ANTONIO MARCOS BARBOSA, AMILTON J. MANOEL) x SEVERINO MARCONDES MEIRA FILHO (Adv. DELOSMAR DOMINGOS DE MENDONCA JUNIOR, GEILSON SALOMAO LEITE, EDUARDO MONTEIRO DANTAS, ALEXANDRE SOUZA DE MENDONÇA FURTADO, ALVARO DANTAS WANDERLEY, GEORGE SALOMAO LEITE, RODRIGO AZEVEDO TOSCANO DE BRITO, FABIO ANDRADE MEDEIROS) x UBIRATAN HENRIQUE DE OLIVEIRA PIMENTEL (Adv. CATARINE HELENA LIMEIRA PIMENTEL, ROGERIO MAGNUS VARELA GONCALVES, FELIPE AUGUSTO FORTE DE NEGREIROS DEODATO) x BIVAR OLINTO DE MELLO E SILVA NETO (Adv. HUMBERTO CAVALCANTI DE MELLO, JOSE BAPTISTA DE MELLO NETTO, FRANCISCO DE ASSIS SILVA C. JUNIOR, PAULO AMERICO MAIA DE VASCONCELOS, ALEXANDRE VIEIRA DE QUEIROZ, IRAPUAN SOBRAL FILHO, RODRIGO DE SA QUEIROGA) x FRANCISCO ARNAUD DINIZ (Adv. JOSE TARCIZIO FERNANDES, JOAO LUNA FILHO, FABIO LEANDRO DE ALENCAR CUNHA) x DERIVALDO DOMINGOS DE MENDONCA FILHO (Adv. DELOSMAR DOMINGOS DE MENDONCA JUNIOR, GEILSON SALOMAO LEITE, FABIO ANDRADE MEDEIROS, RODRIGO AZEVEDO TOSCANO DE BRITO, EDUARDO MONTEIRO DANTAS, ALEXANDRE SOUZA DE MENDONÇA FURTADO, FABIO ANDRADE MEDEIROS, DANIEL HENRIQUE ANTUNES, ALVARO DANTAS WANDERLEY, GERMANA AZEVEDO TOSCANO DE BRITO, RODRIGO AZEVEDO GRECO, FELIPE DE FIGUEIREDO SILVA, CARLOS EMILIO FARIAS DA FRANCA, LÍLIA MARANHÃO DE MELO, MARCELO ARARUNA DA CUNHA CARNEIRO BRAGA, DIOGO LEITE HENRIQUES, ANNA TEREZA DE MENDONÇA GONÇALVES) x SEVERINO MARCONDES MEIRA (Adv. ROGERIO MAGNUS VARELA GONCALVES, HELANNE BARRETO VARELA GONÇALVES) x PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DA TRABALHO DA 13A. REGIAO x DIRETOR GERAL DO TRT DA 13A. REGIAO E OUTROS x NAPOLEAO BEZERRA VERAS

O presente Cumprimento de Sentença versa sobre obrigação de pagar à exequente indenização por perdas e danos, custas, honorários e restituição de valor pago pela União, em antecipação ao perito oficial. O executado Severino Marcondes Meira atravessou petição às fls. 2540/2571, solicitando o cancelamento do leilão, alegando excesso de garantia, haja vista penhora de imóvel inscrito em seu nome. Concedida vista à União, esclareceu não haver indicado bem imóvel do aludido executado para fins de alienação judicial, conforme petições anexadas. Breve relato. Decido. 1.Depreende-se dos autos que a União apresentou às fls. 2536 e 2584/2585, um único bem do executado Severino Marcondes Meira para fins de alienação no próximo leilão, qual seja, o automóvel MMC/PAJERO SPORT HPE, placa MOS2021. Assim, o pedido formulado às fls. 2540/2571, restou prejudicado. 2.Haja vista o instrumento procuratório de fls. 2545, proceda a Secretaria anotações nos assentamentos cartorários. 3.Por outro lado, em razão do Cronograma de Leilão Unificado previamente estabelecido nesta Seção Judiciária da Paraíba, designo o dia 17/05/2018 (1ª data), a partir das 09:00 horas, para realização do 1º leilão dos bens penhorados neste feito às fls. 2536 (SEVERINO MARCONDES MEIRA - Automóvel MMC/Pajero Sport HPE, Placa MOS2021; FRANCISCO ARNAUD DINIZ - Imóvel residencial, nº 16, Quadra A-1, Loteamento Cidade Balneário Novo Mundo, Jacumã, Conde/PB e UBIRATAN HENRIQUE OLIVEIRA PIMENTEL - Sítio Gameleira, em Gameleira, Lucena/PB) por preço igual ou superior ao da avaliação; e o dia 29/05/2018 (2ª data do 1º leilão), também a partir das 09:00 horas, para realização leilão dos referidos bens, por qualquer preço, desde que não seja considerado preço vil. 5.Nomeio o senhor Miguel Alexandrino Monteiro Neto para atuar como leiloeiro neste processo, cumprindo-lhe realizar o leilão público, no local indicado por este Juízo, receber e depositar, dentro de 24 (vinte e quatro) horas, à ordem do Juízo, o produto da alienação, prestando contas nas 48 (quarenta e oito) horas subsequentes ao depósito. 6.Fixo em 5% (cinco por cento) a comissão do leiloeiro, nos termos do parágrafo único do art. 24 do Decreto nº 21.981/1932, que deverá ser paga pelo arrematante (art. 884, parágrafo único, do CPC), por meio de depósito, em conta, à disposição deste Juízo, apresentando a respectiva comprovação do depósito ao Leiloeiro. 7.O leiloeiro deverá informar o número da sua conta bancária, agência CPF, para fins deste Juízo proceder à transferência do valor de sua comissão acima mencionada, após concluída a arrematação, que ocorrerá com a entrega do bem ao arrematante. Encerrada a arrematação, a Secretaria expeça-se ofício a Caixa, agência desta Seccional, para tal fim. 8.Intimações necessárias (exequente, executado e leiloeiro), observando-se o determinado no art. 887, §1º, e no art. 889, ambos do CPC. 9.Como a última avaliação do automóvel MMC/PAJERO SPORT HPE, placa MOS2021 ocorreu há mais de um ano, conforme Auto de Penhora às fls. 2429/2430, proceda-se à reavaliação e aos registros fotográficos do bem penhorado. 10.Expeça-se edital de leilão. 11.Providencie a Secretaria a publicação do edital no órgão oficial, que também deverá ser afixado no local de costume, certificando-se nos autos esta providência. 12.Sem prejuízo, proceda a Secretaria às diligências concernentes ao integral cumprimento das decisões proferidas às fls. 2300/2302 e 2572. 13.Quanto à ausência de resposta do Juiz de Direito da 1ª Vara de Sucessões de João Pessoa/PB, acerca da solicitação de realização de penhora no rosto dos autos da Ação de Inventário nº. 0045411-11.2008.815.2001, renove-se o ofício, o qual deverá ser cumprido por Oficial de Justiça que deverá certificar nos autos a realização da sobredita penhora. Cumpra-se. Intimem-se. [1] Art. 884. Incumbe ao leiloeiro público: Parágrafo único. O leiloeiro tem o direito de receber do arrematante a comissão estabelecida em lei ou arbitrada pelo juiz. [2] Art. 887. O leiloeiro público designado adotará providências para a ampla divulgação da alienação. § 1o A publicação do edital deverá ocorrer pelo menos 5 (cinco) dias antes da data marcada para o leilão. § 2o O edital será publicado na rede mundial de computadores, em sítio designado pelo juízo da execução, e conterá descrição detalhada e, sempre que possível, ilustrada dos bens, informando expressamente se o leilão se realizará de forma eletrônica ou presencial. § 3o Não sendo possível a publicação na rede mundial de computadores ou considerando o juiz, em atenção às condições da sede do juízo, que esse modo de divulgação é insuficiente ou inadequado, o edital será afixado em local de costume e publicado, em resumo, pelo menos uma vez em jornal de ampla circulação local. § 4o Atendendo ao valor dos bens e às condições da sede do juízo, o juiz poderá alterar a forma e a frequência da publicidade na imprensa, mandar publicar o edital em local de ampla circulação de pessoas e divulgar avisos em emissora de rádio ou televisão local, bem como em sítios distintos do indicado no § 2o. § 5o Os editais de leilão de imóveis e de veículos automotores serão publica dos pela imprensa ou por outros meios de divulgação, preferencialmente na seção ou no local reservados à publicidade dos respectivos negócios. § 6o O juiz poderá determinar a reunião de publicações em listas referentes a mais de uma execução. [3] Art. 889. Serão cientificados da alienação judicial, com pelo menos 5 (cinco) dias de antecedência: I - o executado, por meio de seu advogado ou, se não tiver procurador constituído nos autos, por carta registrada, mandado, edital ou outro meio idôneo; V - o credor pignoratício, hipotecário, anticrético, fiduciário ou com penhora anteriormente averbada, quando a penhora recair sobre bens com tais gravames, caso não seja o credor, de qualquer modo, parte na execução;

   

0004211-24.2012.4.05.8200 MAGAZINE LUIZA S A (Adv. RICARDO DE OLIVEIRA FRANCESCHINI, RAQUEL CRISTINA RIBEIRO NOVAIS, DANIELLA ZAGARI GONÇALVES, CELSO DE PAULA FERREIRA DA COSTA, MARCO ANTONIO BEHRNDT, CARINA DE LIMA SOARES, AMANDA FONSECA DE PONTES, LUIZ ALEXANDRE LIPORINI MARTINS, RICARDO QUERINO DE SOUZA, RICARDO RODRIGUES BARDELLA, GUILHERME DURAN GALLASSI, JEFERSON FRANCO ANTONIO VIEIRA, RAQUEL CRISTINA RIBEIRO NOVAIS, CRISTIANE ROMANO, DANIELLA ZAGARI GONÇALVES, MARCELO PAULO FORTES DE CERQUEIRA, CELSO DE PAULA FERREIRA DA COSTA, MARCO ANTONIO BEHRNDT, MARIO GRAZIANI PRADA, ANDREA FEITOSA PEREIRA, PAULO HENRIQUE CHÍTERO BUENO, JOÃO OTÁVIO MARTINS PIMENTEL, JOÃO AM ADEUS ALVES DOS SANTOS, NAYARA MOURA LIMA, MICHAEL ANDERSON DANTAS LAURENTINO, SERGIO ALBERTO RIBEIRO BACELAR, JOSÉ APARECIDO DOS SANTOS, DEBORAH ARAUJO BALDUINO) X UNIÃO (Adv. SEM PROCURADOR)

Observa-se que ao ser proferida a decisão às fls. de 3063/3063v, houve erro material corrigível a qualquer tempo, uma vez que permanece incólume o teor da decisão proferida. Assim, onde consta: "Certidões de Dívida Ativa números 42.2.000251-10 e 42.6.12.001432-60" leia-se: "Certidões de Dívida Ativa números 42.2.12.000251-10 e 42.6.12.001432-60" I.

   

0005916-57.2012.4.05.8200 UNIÃO FEDERAL (TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 13ª REGIÃO - PARAIBA) (Adv. SEM PROCURADOR) X EREMILTON DIONISIO DA SILVA (Adv. EDNALDO DE LIMA)

Corrija-se a classe dos presentes autos para a de Cumprimento de Sentença, nos termos da Resolução 441/2005, art. 16, do CJF. Intime-se o advogado da União, para, querendo, promover a Execução dos honorários advocatícios, no prazo de 15 (quinze) dias. Decorrido o prazo sem impulso, proceda-se à baixa destes autos, facultada a sua reativação antes de escoado o prazo prescricional. Apresentados os cálculos, intime-se o Executado para, no prazo de 15 (quinze) dias, efetuar o pagamento da obrigação por quantia certa, advertindo-o que o descumprimento da determinação implicará em multa de 10% e de honorários de 10% sobre o valor cobrado (art. 523, §1º do CPC). Havendo pagamento parcial, a multa e os honorários acima mencionados incidirão sobre o restante (art. 523, §2º do CPC). Não efetuado o pagamento no prazo legal, expeça-se Mandado de Penhora e Avaliação ou equivalente (penhora on-line), conforme requerido pelo credor, devendo tal medida ser limitada ao montante do valor do crédito executado. (§3º do artigo 523 do CPC). Efetuada a penhora e a avaliação dos bens, intime-se incontinenti o devedor, pessoalmente ou na pessoa de seu advogado para, querendo, apresentar Impugnação, no prazo de 15 dias, a qual deverá versar sobre os casos previstos no art. 525 §1º do CPC

   

0008132-25.2011.4.05.8200 ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SECCIONAL DO ESTADO DA PARAÍBA (Adv. ANTONIO FIALHO DE ALMEIDA NETO) X ASSOCIAÇÃO DOS ADVOGADOS MILITANTES DO ESTADO DA PARAÍBA (Adv. JOCELIO JAIRO VIEIRA) x ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL - CONSELHO FEDERAL

Corrija-se a classe dos presentes autos para Cumprimento de Sentença nos termos da Resolução 441/2005, art. 16, do CJF. Intime-se o advogado exequente para instruir o requerimento de execução de pagar verba sucumbencial com demonstrativo discriminado e atualizado do crédito. Após, intime-se a parte executada para, no prazo de 15 (quinze) dias, efetuar o pagamento da obrigação por quantia certa ou oferecer bens à penhora. Advirta-se-lhe de que não havendo o pagamento ou oferecimento de bens à penhora haverá a incidência de multa de 10% sobre o valor executado, e, também, de honorários de advogado 10%, ressaltando que o pagamento parcial previsto no caput, a multa e os honorários previstos no parágrafo primeiro incidirão sobre o restante, conforme orientação do artigo 523 do CPC. Transcorrido o prazo previsto no art.523 sem o pagamento voluntário, inicia-se o prazo de 15 (quinze) dias para que o executado, independentemente de penhora ou nova intimação, apresente, nos próprios autos, sua impugnação. (art.525, caput, do CPC). Não efetuado o pagamento no prazo legal, expeça-se mandado de penhora e avaliação, conforme requerido pelo credor (art.523, §3º do CPC). Efetuada a penhora e a avaliação dos bens, intime-se incontinenti o devedor pessoalmente ou na pessoa de seu advogado para manifestação, no prazo de 15 dias. Cumpra-se.

   

Cumprimento de Sentença Contra a Fazenda Pública

   

0009219-55.2007.4.05.8200 LICIA CRISTINA ARAUJO DE AGUIAR (Adv. LEONARDO THEODORO DE AQUINO, FLAVIO COLAÇO DA SILVA) X UNIÃO (Adv. ERIVAN DE LIMA)

1) Considerando que a sentença de fls.68/74 não sofreu alteração pela instância superior, altere-se a classe do feito e intime-se LEONARDO THEODORO DE AQUINO, advogado da parte autora desde a fase de conhecimento (fl.20), para propor a Execução dos honorários advocatícios através do Sistema Processo Judicial Eletrônico/PJe como "Cumprimento de Sentença Contra a Fazenda Pública", no prazo improrrogável de 15 (quinze) dias, acompanhada de cópias digitalizadas dos seguintes documentos: * Petição inicial do processo de execução e/ou de conhecimento; * Procuração; * Documentos de identificação da(s) parte(s) e do(s) advogado(s); * Laudo pericial ou planilha de cálculos, se houver; * Sentença, acórdão e demais decisões das instâncias superiores, se houver; * Data do ajuizamento da ação principal, data da citação inicial, certidão de trânsito em julgado ou documento que comprove a tempestividade do ajuizamento. 2) Defiro a habilitação e vista dos autos requerida pelo Bel. FLÁVIO COLAÇO DA SILVA, OAB/PB-20.919, tendo em vista a nova procuração anexada aos presentes autos (fl.155) pelo prazo de 05(cinco) dias, após decorrido o prazo para manifestação de Leonardo Theodoro de Aquino. 3) Proceda-se ao cadastro no sistema do Bel. Flávio Colaço da Silva sem, no entanto, excluir o advogado Leonardo Theodoro de Aquino, uma vez que o mesmo ainda figura nos autos na qualidade de exequente. 4) Deve o Bel. Leonardo Theodoro de Aquino informar, nestes autos, o eventual ajuizamento da execução por meio eletrônico, indicando o número daquele processo. 5) Em seguida, com ou sem atendimento ao disposto no item 1 e nada sendo requerido pelo Bel. Flávio Colaço da Silva, dê-se baixa e arquive-se, independentemente de nova intimação, ressalvando-se o direito enquanto não prescrito.

   

 

TOTAL DE SENTENÇA: 1

TOTAL DE DECISÃO: 7

TOTAL DE DESPACHO: 18

 

Página Inicial | Consulta Simplificada | Consulta Avançada | Versão

Powered by MPS Informática - Todos os direitos reservados. Melhor visualizado em 800 x 600 ou superior.